Amanhã



Naquela noite,  ele reuniu-se com amigos num inferninho da Prado Júnior. E, oh boy... foi uma noite sem limites de pós e fumacê, peitos e aromas, gozos precipitados e gargalhadas, promessas de amizade eterna e tropeços por entre as mesas. Foi uma comemoração como se não houvesse amanhã. E na verdade, não haveria. No dia seguinte ele estaria casado.

Nina Victor

4 comentários:

Helio Jenné disse...

Sensacional o enfoque e o desfecho da historia, Nina! Adorei!

Nina Victor disse...

Bondade sua, Jenné.
Como disse, raso como lagoa seca... ;)

Clameli disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Seu Ombudsman disse...

Nina, estou descobrindo novas facetas suas... :-)