Lápide

Duas rosas rubras
jazem juntas no jazigo
de pedra mármore.
Esperam em par,
por um futuro pior.

Um dia foram frescas,
Um dia fizeram sorrir,
Um dia, rosas perfumosas.
Agora, degradam juntas,
E em poucas horas serão
Apenas poeira de rosas
Sobre uma lápide esquecida.

Helio Jenné

4 comentários:

Nina Victor disse...

Muito bom, Jenné!!!
Estou adorando nosso retorno! :)

Lucas Neves disse...

Realmente muito bom!
Que mesmo com a morte das rosas, Jenné, o perfume nunca cesse dentro de nós... dentro das nossas intenções.

Um forte abraço,
Lucas Neves.

Helio Jenné disse...

A volta das férias é uma espécie de recomeço: traz um frescor e uma animação de primeiro dia de aula. Eu estou adorando!

Helio Jenné disse...

Lucas, gostei muito do seu comentário. Seja bem vindo ao nosso blog. Acabo de acessar o seu espaço e gostei muito. Você tem talento e escreve muito bem. Não resisti a assinar o feed, para acompanhar de perto. Abração!