Eu-Esfinge




Um turbilhão de realidade me pegou em cheio.
Ainda zonza e desatinada tento reestruturar minhas convicções.
Há mistérios nos porquês e confusão nas consequências.
Num lapso de sanidade vejo as cores se esvaindo e
brotar com ares perenes o seco preto no branco.
Devorada pela vida, sigo na lida da existência.
Quem puder que me decifre.

Nina Victor



2 comentários:

Helio Jenné disse...

Arrepiou. Vc está cada dia melhor, Nina! Seu comentário foi ncrívelmente poético! Beijos.

Nina Victor disse...

Ah!
Você é suspeito, Helio! :)