Destinos selados


Ao vê-la presa indefesa
na minha armadilha de seda
Enlouqueço, perco a compostura
e me esqueço de todo o resto.
Eu não presto e salivo
a fome de fera faminta,
Caçador, espreito a presa
que mesmo nesta postura
traz no olhar um desafio.
O meu prazer é saber
Que você já é minha.
Não tem saída.
E me aproximo lentamente,
Respingando meus suores,
Meu tesão e meus amores
sobre você. que se debate em vão.
Estou preparado.
Nossos destinos estão selados.

Helio Jenné

2 comentários:

Nina Victor disse...

Depois diz que não sabe... ;)

Helio Jenné disse...

Se você assim pensa, pode deixar que vou decifrar e devorar! Obrigado, Nina! Beijos :)